terça-feira, 7 de outubro de 2008

Poema ao Seu Moço

Seu Moço
sumiu da minha vista,
sumiu da minha vida,
até das letras perdidas.
Sinal não manda mais
e as conversas de esquina
já são lembranças.
Seu Moço,
faz assim, não.
Lembra que amigo é coisa
pra se guardar
pra aproveitar
e abusar
até se perder
de vista,
mas não do coração.

(Deixar amigo assim com saudade é pecado... )

4 comentários:

Rosa Marques disse...

Quem será esse amigo "fujão"? Bom, pelo menos a fuga dele já rendeu algo bom... esse poema muy belo! Agora ele já pode voltar :)))

Pan disse...

Muito bom, deixar saudades realmente é pecado.
Sentir saudades, as vezes é bom e ruim ao mesmo tempo. É bom quando se sabe que um dia irá ver certa pessoa de novo. E ruim pelo fato, de sentir saudades!
Enfim, gostei muito do poema!
Beijos, tenha uma otima semana!

Rose Marques disse...

Sim, ele apareceu!!!
Ao menos, mandou um sinal..
Acho que a estratégia de guerrilha funcionou! : )

Vinicius Patrão disse...

Adorei.
Ao sumir seu moço cria saudades nele mesmo, saudades de ti e de todo mundo das bandas de lá.
Infelizmente a vida de "responsabilidades" me pegou e roubou meu tempo. Meu, não. Mas de voces e de todo mundo que eu gostaria de rever.
Um beijo, Rose.
Segunda estarei lá;