segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Yoga pela Paz

O que um bando de "malucos", cantando mantras, inventando cirandas e dividindo uma manhã de domingo de sol e chuva, tem que nos faz tão bem? Talvez não tenha explicação, e, se tivesse, talvez não teria tanta Graça. Isso é Yoga pela Paz.
O nome do evento não é vão. Uma manhã no Parque do Ibirapuera é suficiente para nos resgastar de nós mesmos e nos levar de volta para aquele lugar em nós em que somos paz, serenidade, bem-aventurança e amor.
A manhã era de vento e frio, o parque gelado. A esperança de sol tentava aquecer. Nathália e Elaine duvidavam. Pessoas mais que especiais dividindo momentos especiais. Um breve passeio. Mais frio. De repente a música. Jai Uttal. Somos o som. A aula da professoa Núbia Teixeira e a sensação real da presença divina em nós e em tudo e todos ao nosso redor. Somos uma árvore. A meditação da Márcia de Luca e o exercício de perdão. Somos o lago. Krishna Das. A companhia de pessoas queridas, o reencontro com pessoas queridas, a lembrança de pessoas queridas. Somos Amor.
O dia não foi de mágica nem de encantamento. Foi de Realidade. De encontro com a real natureza do nosso Ser.
Namastê, o Deus que habita em mim saúda o Deus que habita em você.
Agradeço a Nathália, a Di, a Ana Cristina, a Iva, o Seu Paulo, pai da Nathália, a minha mãe, o Seu José, e a todos os "malucos" no parque, por um dia perfeito!

Um comentário:

Nany disse...

Nossa, Rose! Suas palavras são tão intensas que me fizeram sentir em outro lugar... Vc faz qualquer um "vivenciar" cada história que aqui registras! O YPP foi um dia perfeito e inesquecível! Agradeço o carinho e a alegria que vc e Nathalia me proporcionaram. Sem esquecer do maravilhoso Krishna Das e Cia.
Amo você, eterna amiga Rose!
Namastê