segunda-feira, 15 de setembro de 2008

A vitória da crônica falida

Pode uma pessoa que não entende nada de futebol escrever uma crônica esportiva? Reconheço minha ignorância futebolística, e, mesmo assim, vou arriscar. A motivação foi o jogo de ontem.
Meu desconhecimento quase total e absoluto é um fato. Ano passado, fui à Vila Belmiro ver São Paulo e Santos com dois amigos santistas (torcendo contra o Santos, claro). Levei os dois à loucura por mais de um motivo. "O que foi aquilo? Chapéu, caneta, chaleira?", "Quem é mesmo o número seis?". Mas me diverti. E muito (principalmente porque o São Paulo ganhou de 1 a 0...).
Não sei nada de futebol. Mas amo. Amo daquela maneira que não se sabe explicar. Até tento. Principalmente para pessoas estarrecidas com esta minha paixão. Mas não adianta falar de amor para aqueles que não amam. Parece que há um entendimento mútuo e secreto, compartilhado apenas entre os amantes...
Amo ver jogo em estádio. É, sem dúvida, uma das melhores coisas da vida.Ver a Seleção Brasileira jogar contra o Uruguai, ano passado, no Morumbi, foi inesquecível. Ver o Palmeiras ser campeão paulista, este ano, no Palestra Itália, foi de uma emoção sem tamanho. Mas jogo sem tanta importância também é muito bom. Vale até jogo na Vila!
Ah, e para quem não sabe, sou palmeirense. Graças ao meu irmão. Comigo, é torcer pelo Palmeiras. Ou contra o Santos. Sempre.
Amo fazer parte da torcida. E gritar. E cantar com o repique da bateria. Abraçar desconhecidos na hora do gol. Xingar também. E chorar, às vezes. Já fiz trabalho de Antropologia sobre torcidas para tentar entender esse tipo de insanidade. Em vão. Um jogo de 90 minutos, acompanhado junto com milhares de pessoas, transcende qualquer tentativa de explicação.
Jogo pela televisão é diferente. Perde muito da emoção. Ainda assim, dá pra dar uns gritos e pulos incontroláveis do sofá.
Pois bem. O jogo de ontem: Palmeiras e Cruzeiro. A briga valia a vice-liderança do Campeonato Brasileiro. Eu, que estava meio borocochô, me animei em dois minutos. Que jogo! Não vou dizer que Fulano e Sicrano estiveram muito bem em campo, que a estratégia tática do time funcionou ou que a zaga finalmente resolveu trabalhar direito. Isso tudo fica para a crônica jornalística especializada. Além do mais, não entenderia patavina do que estaria dizendo. Apenas vou conseguir dizer que vibrei muito com um jogo quente e disputadíssimo, como há algum tempo não via. Teve grito, teve torcida, teve pulo do sofá. O gol do Diego Souza ao final do primeiro tempo aliviou um pouco a tensão. Mas o segundo tempo... Barbaridade! O que foi aquilo? Com dez em campo, o Palmeiras mostrou como sapatear levando tiro no pé e tendo que segurar as calças! Uns dizem que sem dificuldade, a vitória não tem mérito... Bom, também não vou dizer, como naqueles comentários imbecis de fim de jogo, que o time mereceu ganhar. Mereceu, não mereceu - que importa? Jogo é mérito, mas também é sorte (o goleiro Marcos que o diga, com todas aquelas bolas zunindo pelas traves de seu gol...). O que importa é o jogo bem jogado, a emoção, o inesperado. Teve tudo isso e o time ganhou? Valeu a pena. Perdeu? Também valeu! Mas é claro que meu coração alvi-verde, feliz e aliviado, contentou-se ainda mais com a conquista do campeonato mais próxima, possível...
Será isso uma crônica esportiva? Desconfio que não. Pouco rigorosa, desconexa, pessoal demais. Talvez, então, a resposta à pergunta inicial seja negativa, mas assim como vou ao estádio para me divertir e não para entender de futebol, escrever esse texto foi pura diversão.E isso me basta. Duas vitórias no dia de ontem...

4 comentários:

Pan disse...

Gostei do seu blog, e escreve muito bem.
A verdade é, nem tudo que nos amamos, nos entendemos.
E na maioria das vezes é assim.
E a vida não se pede para ser entendida, e sim vivida.
E você tem o poder de fazer isso com toda satisfação e felicidade!

Te convido a visitar meu blog.
http://pitelana.blogspot.com/

Beijo! Tenha uma otima semana!

Rafaelle Donzalisky disse...

ahh gostei! eu tbm n entendo nd de futebol e qd arisco algum comentário o henrique cai no riso!

Mas quem disse que pra gosta precisa entender?
"gosto por que gosto! haverá msm uma razão pra se gostar??"

beijão!

Fernando disse...

texto excelente!
leve,gostoso de ler!
detalhe...muita gente que diz entender de futebol na maioria das vezes não entende nada!principalmente os homens claro!!
parabéns,perfeito!
beijooo

Paulo Heitor disse...

MEUUU DEUUUUUUUUUS...
Apenas, excelente!
d+

Um dia quero escrever 50% do que vc escreve!