quarta-feira, 10 de abril de 2013

Clube da luta

O mecânico grita pela janela:
Se você estiver no clube da luta, tanto faz o dinheiro que tenha no banco. Você não é o que faz para viver. Você não é a sua família e não é quem pensa que é.
O mecânico grita para o alto:
— Você não é o seu nome.
Um macaco espacial sentado no banco de trás emenda:
— Você não é os seus problemas. O mecânico grita:
— Você não é os seus problemas. Outro macaco espacial diz:
— Você não é a idade que tem.
Neste ponto, o mecânico dá uma guinada na direção e sai para o acostamento e a luz dos faróis entra pelo pára-brisa com a frieza de uma punhalada. Um carro e depois outro passam buzinando, e o mecânico desvia dos dois a tempo.
Os faróis nos atingem, cada vez mais fortes, as buzinas tocam, e o mecânico estica o pescoço para o clarão, o barulho e os gritos:
— Você não é suas esperanças. Ninguém ouve nada.
Desta vez, um carro desvia bem na nossa frente e estamos salvos.
Outro carro se aproxima, faróis piscando, alto, baixo, alto, baixo, buzina berrando, e o mecânico grita:
— Vocês não se salvarão.
O mecânico não desvia, mas o outro carro sim. Outro carro, e o mecânico grita:
— Vamos todos morrer um dia.
Desta vez, o carro desvia, mas o mecânico vai para cima dele. O carro consegue sair de lado e para mais à frente, outra vez.
Nessa hora, você acha que vai morrer. Porque nesse momento nada importa. Olha para as estrelas e desaparece. Nem sua bagagem. Nada importa.
Nem a sua dificuldade de respirar. Está escuro la fora e as buzinas tocam ao redor. Os faróis piscam na sua cara e você nunca mais terá de ir trabalhar.
Nunca mais terá de cortar o cabelo.
— Rápido — diz o mecânico.
O carro desvia de novo, e o mecânico desvia junto.
— O que você gostaria de fazer antes de morrer? — pergunta o mecânico.
Um carro se aproxima buzinando, mas o mecânico, com toda a calma, vira-se para mim e diz:
— Dez segundos para o impacto.
— Nove.
— Em oito.
— Sete.
— Em seis.

(Clube da luta, Chuck Palahniuk)



(Um filme tão bom quanto o livro, e vice-versa. Ler o livro e ver o filme — ou ver o filme e ler o livro. Nesse caso, a ordem dos fatores não altera o produto)

2 comentários:

Paula Gomes disse...

Texto empolgante!
pronto! lá vou eu para mais um filme (e livro) bem recomendado! ;)
:D

Emerson Henrique disse...

Não li o livro, mas sempre faço uma associação com Laranja Mecânica, o que basta para me animar bastante para essa leitura. O filme é ótimo!

Abraço!